Skip to content
Entre Crie sua conta

Diga sim para conquistar seus objetivos
Dicas sobre como organizar seu dinheiro, sair do vermelho, fazer seu dinheiro render e entender o mercado.

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para crescer como empreendedor
Conteúdos práticos sobre como organizar as finanças do seu negócio, começar a empreender, administrar seu negócio e vender mais

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para expandir sua empresa
Conhecimento sobre como impulsionar suas vendas, gerenciar e expandir sua empresa e insights de mercado

Acesse

Conheça a biblioteca

Diga sim para tecnologia descomplicada
Conteúdos sobre conta grátis, crédito, venda online e física, Pix e tutoriais Mercado Pago

Acesse

Conheça a biblioteca

Venda digitada ou link de pagamento: conheça as diferenças

Saiba tudo sobre as duas ferramentas de cobrança e entenda qual é a melhor para o seu negócio
Entenda a diferença entre venda digitada e link de pagamento para vender

As transações por cartões de crédito e débito registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados nos primeiros três meses de 2021 em comparação com 2020, totalizando R$ 558,3 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). 

 

Isso significa que, para aumentar suas vendas, é preciso contar com ferramentas que aceitem esse meio de pagamento.

É o caso da venda digitada - uma modalidade que permite vender sem a presença do cartão. Ao finalizar a compra, o vendedor digita os dados do cartão do comprador na maquininha e pronto. 

Mas será que essa é a única opção que pode ser utilizada para vendas presenciais e digitais? Felizmente, não! Outra ferramenta de venda que pode ser utilizada é o link de pagamento. 

Confira a comparação para entender qual é a melhor opção ao seu negócio.

 

Entenda a diferença entre venda digitada e link de pagamento

O formato de venda digitada possui diversas facilidades, sendo necessário apenas os dados do cartão para efetuar a compra. No entanto, muitos clientes não se sentem confortáveis com o compartilhamento, seja por telefone, e-mail, WhatsApp e, até mesmo presencial, afinal são informações pessoais e intransferíveis.

É comum que a venda digitada seja usada em pré-cobrança de reservas em estabelecimentos.

Por exemplo, você vai se hospedar em um hotel, antes da sua chegada, a recepção pode entrar em contato para pedir os dados do seu cartão de crédito para realizar o pagamento antecipado. 

Já o link de pagamento é uma opção para comerciantes e prestadores de serviços que fazem vendas presenciais e digitais.

Para efetuar a operação, basta compartilhar o link através de mensagem - WhatsApp, SMS, redes sociais ou e-mail. Assim que o cliente receber e abrir, será encaminhado para a página onde escolherá o método de pagamento e como deseja receber o produto. 

Alguns casos comuns de uso do link são para vendas pelas redes sociais e retentativas de pagamento. Por exemplo, é possível vender pelo Instagram e cobrar à distância sem a necessidade de pedir os dados do cartão do comprador. Entre as vantagens: não precisar de uma maquininha e site. 

 

Link de pagamento versus venda digitada: qual é o melhor para seu negócio?

As ferramentas de pagamento precisam ser eficientes tanto para quem compra quanto para quem vende. Por isso, na hora da escolha, analise alguns critérios para identificar se a solução é completa para atender às necessidades. 

 

1. Segurança

 

Na venda digitada, o cliente não tem domínio de seus dados, por isso já é um motivo para desconfiança. Nesse caso, as transações dependem de um vendedor para inserir todas as informações do comprador na maquininha de cartão. 

Com o  link, o cliente consegue efetuar o pagamento de qualquer lugar e a segurança não é uma preocupação porque a ferramenta conta com sistema antifraude.  

 

2. Praticidade

 

O link de pagamento não precisa de um site. Em segundos, ele é gerado e compartilhado através de uma mensagem pelo WhatsApp, e-mail ou qualquer canal de preferência do comprador. 

Já a venda digitada pode ser mais demorada, considerando que o vendedor tem várias etapas para realizar todo o processo - pega a maquininha, solicita os dados e só depois efetua o pagamento. 

 

3. Diversidade de métodos de pagamento 

 

O link de pagamento aceita oito métodos de pagamento: cartão de crédito, boleto, Pix, boleto parcelado, cartão de débito virtual da caixa, carteira digital do Mercado Pago, PayPal e pagamento na lotérica. Já a venda digitada aceita apenas cartão. 

 

4. Recebimento das vendas

 

O link de pagamento permite o recebimento das vendas no mesmo dia da transação. Além disso, no Mercado Pago, o comprador parcela, mas o dinheiro cai integralmente e na hora para o vendedor.

Enquanto isso, com a venda digitada, o prazo de recebimento é de 30 dias.  

 

5. Retentativas de pagamento

 

Em algumas situações, as transações de uma loja física ou virtual não são aprovadas. Nessa hora, o link de pagamento é uma ferramenta eficiente, porque basta compartilhá-lo com o cliente para que ele faça a retentativa corrigindo o problema ou, até mesmo, escolhendo outro método.

Agora, se a retentativa de pagamento for feita através da venda digitada, o processo é mais longo e nem sempre resolve a falha, principalmente se for a única solução de adquirência. 

 

Leia também: Conheça a solução de Link de pagamento Mercado Pago

 

Escolha uma ferramenta de pagamento segura para uma experiência de compra perfeita 

Já sabe qual é a melhor solução de cobrança que se encaixa no seu negócio? Se você quer vender mais, o link de pagamento é ideal para oferecer uma experiência segura, simples e rápida para os seus compradores.

E o vendedor não precisa coletar dados sensíveis do cartão de crédito do cliente, conquistando mais confiança sem dores de cabeça.

 

link de pagamento


Escrito por:

assinatura_equipe

Artigos relacionados